Siga-nos através do Youtube

Santos, um celeiro de craques

O Santos Futebol Clube sempre foi conhecido por utilizar as categorias de base, visto a quantidade de bons jogadores que surgem desde a geração mais vitoriosa, a equipe de Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe ou quando passa por alguma dificuldade, como agora, punido pela FIFA e sem poder contratar.

Foto: O Ataque Mágico

Foi assim com o time de Robinho, Diego, Elano & companhia, quando o técnico do time na época, Emerson Leão resolveu utilizar a base para tentar acabar com um jejum de 18 anos sem títulos (a última conquista havia sido o Paulista de 1984) e a aposta deu muito certo: a equipe terminou a fase de classificação em oitavo e no mata-mata eliminou o líder São Paulo nas quartas, o Grêmio nas semis e foi campeão contra o Corinthians, em um Morumbi lotado, com uma vitória por 3 x 2, com Robinho sendo o principal destaque daquele campeonato.

Depois do título, o time foi vice-campeão da Libertadores e do Brasileirão e em 2004, o clube foi campeão brasileiro, encerrando três anos muito bons dessa equipe, que trouxe muitas alegrias para a equipe da baixada santista.

Foto: imortais do Futebol

A outra geração de “meninos da vila” que ficou famosa foi a de Neymar & Ganso, que surgiu em 2009, mas explodiu no ano seguinte, com dancinhas, muitos gols e as conquistas do Paulistão e da Copa do Brasil. Em 2011, veio o título mais importante daquela equipe, a Copa Libertadores sobre o Penarol no Estádio do Pacaembu.

Para ressaltar a importância da base, o peixe divulgou uma estatística no ano passado. O clube garante ter utilizado 127 jogadores desde o início do século.

Foto: Acervo Santosfc

“O Centro de Memória do Santos FC fez um levantamento muito importante: o Peixão já utilizou 127 #MeninosDaVila neste século. Um número muito significativo para a Maior Base do Mundo”, destacou o recado santista publicado nas redes sociais.

Deixe uma resposta