Siga-nos através do Youtube

A VIDA DE COUDET NO CAMPEONATO ESPANHOL

De sua saída meio conturbada do Internacional, até os recentes sucessos no Celta de Vigo, que brigava para não ser rebaixado, mas hoje faz boa campanha na Espanha.

Técnico Eduardo Coudet no comando do Celta. / Reprodução: Télam

Quando chegávamos na metade do campeonato brasileiro 2020, o Internacional, líder naquela ocasião, perdeu o técnico Eduardo Coudet, que ali havia aceitado a proposta de dirigir o Celta de Vigo, da Espanha. O torcedor colorado ficou de certa forma bem chateado com o argentino, que abandonou um trabalho bom para se aventurar no continente europeu, tem até torcedor que não gosta ou não quer mencionar o nome “Coudet” pelos lados do Beira-Rio.

No demais, já sabemos o final da história, com a chegada de Abel Braga, o Inter brigando até na última rodada pelo título, mas terminando como vice. Após a competição, Abelão deixou o comando para a chegada de Miguel Ángel Ramirez. Mas pelo lado de Coudet, valeu a pena se aventurar na Espanha?

O técnico assinou com os espanhóis até junho de 2022 e estreou em novembro/2020, naquele tempo, a equipe perdeu para o Sevilla, mas depois o argentino arregaçou as mangas e conseguiu, dentro das limitações do clube, colocar a equipe do Celta no eixo. O time se encaixou, conseguiu uma sequência de vitórias e até namorou as posições que dão vagas para campeonatos europeus, como a Europa League.

Atualmente, a equipe da Galiza se encontra na 11° posição da La Liga com 34 pontos, são 21 partidas no comando de Coudet sendo 8 vitórias, 6 empates e 7 derrotas. Na época em que deixou a equipe brasileira, muitos torcedores, incomodados com a situação, agradeceram ao Celta por ter levado Eduardo para o campeonato espanhol, isso se dá também a oficialização de Abel Braga, que é quase um marco histórico do clube, tão logo o nome do argentino, antes cobiçado por clubes brasileiros, quase deixou de existir nos pensamentos colorados.

Mas o que pode ter feito com que ele saísse do Inter num momento tão bom e fosse para uma equipe que, naquele momento, brigava para não cair? Isso é simples. Mesmo que muitos achassem que a questão financeira tenha falado alto, o valor pago pelos espanhóis não era tão diferente do Internacional. No Brasil, seu salário estava na casa de R$ 650 mil reais mensais, na Espanha, gira em torno dos € 100 mil euros, o que na cotação atual, equivale a R$ 670 mil reais.

O maior “incentivador” do técnico em ir embora na verdade foi o desejo de trabalhar em algum clube da Europa, isso mexeu com a cabeça do argentino que aceitou  o desafio e vai se saindo bem, tirando a equipe das últimas colocações e deixando em meio da tabela, ficando à frente até mesmo de grandes clubes como o Valência. De fato, logo após sua saída, muito questionavam sua atitude e os riscos de deixar uma equipe bem e ir para uma sem nenhum conhecimento afundo.

O tempo passou e, após estes quase cinco meses, o técnico mostra que “valeu a pena” o risco e que construir uma vida profissional na Europa seja a chave ao qual estava precisando, se terminado o campeonato espanhol em uma boa posição, mesmo que com contrato até meio de 2022, nada o impede de ir para uma outra agremiação, com mais casca e assim, o nome “Eduardo Coudet” poder ficar registrado nos livros de bons trabalhos no futebol mundial.

Deixe uma resposta