Siga-nos através do Youtube

Moacyr Barbosa, o goleiro injustiçado pelo povo brasileiro

Na ultima segunda feira (26), foi comemorado o dia do goleiro, e Barbosa um dos maiores goleiros que o pais já produziu está nesta historia.
Crédito: El País - Moacyr Barbosa no gramado do Maracanã

Na ultima segunda feira (26), foi comemorado o dia do goleiro, e Moacyr Barbosa um dos maiores goleiros que o pais já produziu faz parte de toda a historia, carregou por anos a culpa pela derrota do Brasil na copa do mundo de 1950.

Barbosa nasceu no dia 27 de março de 1921, em Campinas-SP, atuou na base de clubes de menor expressão da capital até se transferir para o Vasco da Gama, em 1945.

No clube, Barbosa conquistaria 14 títulos em dezessete anos, e faria parte do “expresso da vitória”, geração que conquistou seis títulos cariocas e 1 campeonato sul-americano (competição que antecedeu a Libertadores).

Com um ótimo rendimento no Vasco, Barbosa foi convocado pela primeira vez para a seleção brasileira em 1949 para a disputa da copa américa.

Com o titulo da copa américa de 1949, o goleiro fez parte do elenco que participaria da primeira copa do mundo no Brasil em 50.

A campanha e o fatídico jogo

O Brasil alcançou com certa tranquilidade a fase final da competição. Com o pais inteiro empolgado o Brasil chegou a final da copa do mundo contra a Seleção do Uruguai. 

Dependendo apenas de um empate para ser campeão, o Brasil empatava com o Uruguai em 1×1 até os 34 minutos do segundo tempo, no Maracanã. 

Com 34 minutos o atacante Uruguaio Alcides Ghiggia partiu pelo lado esquerdo do ataque e finalizou com um chute rasteiro a esquerda de Barbosa, resultado final 2×1 para a seleção celeste e depois disso, Barbosa seria colocado como culpado pelos brasileiros.

Barbosa após a copa de 50

Posteriormente Barbosa seria alvo da torcida brasileira, por conta de muitos considerarem uma falha do goleiro no segundo gol dos uruguaios. 

Barbosa defendeu a seleção brasileira até 1953, no entanto por conta de uma lesão durante a partida contra o Equador, na disputa da copa américa o goleiro foi cortado, e jamais voltaria a vestir a camisa da seleção.

Até 1962, Barbosa defenderia o Vasco em uma segunda passagem pelo clube, e após isso atuaria no Santa Cruz-PE até encerrar sua carreira no Campo Grande-RJ. 

Após o fim da carreira, Barbosa começou a trabalhar para a superintendência de deporto do estado do Rio de Janeiro, especificamente Barbosa cuidava das piscinas do parque aquático do estádio Maracanã, mesmo local onde viveu o momento mais difícil de sua carreira.

Além disso ele sempre foi perseguido pela derrota em 50. Em determinado momento ocorreu um episodio que mexeria muito com o ex-goleiro.

Enquanto estava na rua, Barbosa escutou uma mãe dizendo ao seu filho que “aquele foi o homem que fez o Brasil chorar”, apontando impiedosamente a Barbosa.

Com intuito de mudar de ares, Barbosa se muda do Rio de Janeiro para a Praia Grande-SP em 1993 com a sua mulher Clotilde. 

Últimos anos e legado

Em 1997 Barbosa começaria a viver um novo drama, com dificuldades financeiras e a morte de sua mulher, Barbosa não consegui manter o seu apartamento e teve que vender o imóvel.

Recebendo ajuda do Vasco da Gama e de amigos de longa data, Barbosa faleceria dia no dia 07 de abril de 2000 aos 79 anos, vitima de um AVC.

Moacyr Barbosa não teve filhos, no entanto tem uma única herdeira adotiva chamada Teresa, que conviveu com o ex-goleiro até o dia de sua morte.

Barbosa de diversas formas deixou um legado para a sua posição. Muitos apenas recordam do fatídico lance contra o Uruguai mas por outro lado, Barbosa deixou conquistas memoráveis, como de 3°maior goleiro do século 20 segundo o IFFHS e atualmente, tem um dos campos do CT do Vasco da Gama que leva o seu nome.

A herança deixada pelo ex-goleiro é muito importante, mesmo constituído o mito preconceituoso de que goleiros negros não eram confiáveis após o episodio de 1950, Barbosa com sua simplicidade e conquista tornou inspiração para a sequencia na geração de goleiros do Brasil.

Deixe uma resposta