Brasil na copa do mundo 2006: De favorita ao titulo a eliminação precoce

A seleção brasileira chegou a copa do mundo da Alemanha como franca favorita ao título - Créditos: Reuters

A copa do mundo de 2006 foi uma das mais intrigantes da história. A seleção do Brasil havia chegado como grande favorita na copa do mundo disputada na Alemanha.

Anteriormente, os brasileiros haviam conquistado a copa das confederações em 2005 e ostentava um ofensivo quadrado mágico.

O ataque era formado por Ronaldo, Kaká, Adriano e Ronaldinho Gaúcho, tendo este último eleito melhor jogador do mundo, no ano anterior.

Por outro lado, outras três seleções também era apontadas como favoritas, como a Argentina de Juan Riquelme, a Itália de Buffon e a Inglaterra de Michael Owen.

Festas na preparação do Brasil e convocação

Sobretudo, a delegação do Brasil comandado por Parreira havia ficado hospedado na cidade de Weggis, na Suíça, sendo parte da preparação antes do inicio da copa.

Os treinos sempre ocorriam com presença de público, e muito disso por conta da presença do quadrado mágico que levantava os holofotes da mídia.

Além disso, durante os treinos tocavam música alta nas arquibancadas, pessoas faziam churrascos do lado de fora do estádio e não davam a mínima privacidade aos atletas.

O auge da falsa “concentração” da delegação, se deu quando uma torcedora brasileira invadiu o gramado e agarrou Ronaldinho Gaúcho, sendo após o episódio retirada pela policia local.

Nesse meio tempo, ocorreram até mesmo furtos de equipamentos de jornalista brasileiros que cobriam a preparação da seleção.

Ronaldinho Gaúcho é atacado por uma torcedora durante treinamento- Créditos: Reprodução

Convocação

Goleiros: Dida (Milan), Rogério Ceni (São Paulo, Júlio Cesar (Inter de Milão).                         

Defensores: Cafú (Milan), Lúcio (Inter de Milão), Juan (Roma), Roberto Carlos (Real Madrid), Cicinho (Real Madrid), Luisão (Benfica), Cris (Lyon), Gilberto Silva (Arsenal).

Meias: Emerson (Roma), Kaká (Milan), Ronaldinho Gaúcho (Barcelona), Zé Roberto (Bayern de Munique).

Atacantes: Adriano (Inter de Milão), Ronaldo (Real Madrid), Fred (Lyon), Robinho (Real Madrid).

Campanha da seleção na copa

Desde já, com os jogadores convocados o Brasil enfrentaria na fase de grupos Croácia, Austrália e Japão.

Dessa forma, o time base daquela seleção era formado por Dida, Cafú, Lúcio, Juan, Emerson, Roberto Carlos, Zé Roberto, Kaká, Ronaldinho Gaúcho, Ronaldo, Adriano.

Na primeira partida diante dos croatas, o Brasil teve dificuldade para impor o ritmo ofensivo, ainda assim saiu vitorioso com o placar mínimo, após um belo gol de Kaká de fora da área.

Logo depois, no segundo confronto contra a Austrália o Brasil venceu por um placar mais elástico. Ainda sem uma atuação convincente, Adriano e Fred marcaram os gols da partida.

Na sequencia contra o Japão, a seleção brasileira foi surpreendida com um gol dos Japoneses logo no inicio.

Entretanto, Ronaldo mudou o rumo da partida anotando dois gols, se tornando nesta partida o jogador com mais gols em copas do mundo. 

O Brasil ainda anotou outros dois gols com Juninho Pernambucano e Gilberto Silva, ambos vindo do banco de reservas, sentenciando a vitória por 4×1 dos brasileiros.

Ainda assim, mesmo contestada a seleção brasileira passou em primeiro do seu grupo, com 100% de aproveitamento.

O destaque até ali era Ronaldo fenômeno, o atacante brasileiro havia marcado 2 gols e 1 assistência em três jogos na primeira fase.

Fase eliminatória

Já nas oitavas de final, o Brasil encarou a seleção de Gana e realizou a melhor atuação daquela copa, com vitória por 3 a 0.

O Brasil dominou boa parte da partida, tendo marcado o primeiro gol com Ronaldo após arrancada ofensiva, aos 5 minutos.

Caminhando para o final do primeiro tempo, com 46 minutos Adriano recebe passe de Cafú e amplia a partida.

O segundo tempo foi muito semelhante com o que aconteceu nos primeiros 45 minutos. O Brasil seguiu medindo o ritmo da partida, e fechou o placar aos 39 minutos com Zé Roberto.

O meia do Bayern aliás foi eleito o melhor jogador daquela partida, Zé Roberto teve participações diretas nas ações ofensivas da seleção.

França x Brasil

Com vitória tranquila contra a Gana, a seleção brasileira duelaria com a França nas quartas de finais.

Contra os franceses, o Brasil seguiu como favorito algo que ocorreu em toda aquela edição.

A França por outro lado, vinha de uma importante vitória por 3 a 1 contra a Espanha, nas oitavas de finais.

Diante disso, o primeiro tempo das equipes foi de muito equilíbrio defensivo e com as duas seleções bem conservadoras ofensivamente.

Até os primeiros 45 minutos, França e Brasil pouco se expuseram, mesmo com Ronaldo e Kaká de um lado e Zidane e Henry do outro no aspecto ofensivo.

Nesse meio tempo, o Brasil até buscava construir jogadas no meio campo formado por Juninho Pernambucano, Gilberto Silva, Kaká e Zé Roberto.

No entanto, as infiltrações ofensivas esbarravam na forte marcação de Gallas e Thuram, dupla de zaga dos franceses.

Zinédine Zidane desequilibrou para a França

Por outro lado, Zidane começava a organizar jogadas técnicas, que acabavam envolvendo o meio defensivo brasileiro.

Ainda assim, as seleções foram para o vestiário com os placares zerados, tendo poucas oportunidades na primeira etapa.

Em contrapartida do primeiro tempo, a França começou a segunda etapa propondo o jogo e impressionando a marcação brasileira, passando as armações principalmente por Zidane.

Zidane aliás articulava e dominava de diversas formas as bolas ofensivas da França, seja com passe ou até movimentos que deslocavam os jogadores brasileiros.

Sendo assim, a França alcançou o gol aos 12 minutos com Thierry Henry, após receber cruzamento na área.

Mesmo a frente do placar, a França mostrava ser dominante em toda a etapa complementar, tendo até mesmo oportunidade para ampliar a partida.

Analogamente, a seleção brasileira até mudou a formação tática em relação ao time que iniciou a partida. 

Apesar da presença do quadrado mágico em campo, o Brasil não conseguiu agredir a equipe francesa, a falta de dinâmica no setor ofensivo dificultou a evolução do Brasil na partida.

Resultado final, França 1 x 0 Brasil, o resultado ficou em segundo plano diante da fraca atuação dos brasileiros, principalmente em confrontos contra seleções mais equilibradas taticamente.

Sendo assim, o Brasil se despediu da copa do mundo na Alemanha em 2006 de forma melancólica, tendo em vista que o Brasil poderia ter ido mais longe naquela edição.

Deixe um comentário